domingo, 22 de janeiro de 2017

Um negócio, com prazer...






Viagem aos arredores de Leiria, para mais uma visita a um cliente.
Depois de uma longa reunião, viagem e da ausência de um bom almoço, decidimos ficar para jantar.
Jantamos e conversa puxa conversa, já passava das 23h.
Decidimos ficar por um hotel… Dois quartos vagos, que sorte, tendo em conta a altura do ano, Maio.
Já deitada, ligas-me.
Queres beber um champanhe para comemorar este novo cliente?
-Mais ainda? Já bebemos tanto…
Mais um copo, não fará mal. E não bebemos champanhe.
-Ok. Já aí vou.
-Já estava deitada...
Vai valer a pena, hoje foi um dia muito bom, não poderíamos terminar assim sem festejar este grande cliente.
Sento-me à beira da cama e ofereces-me o champanhe. Proponho um brinde.
Enquanto bebo, observo-te de esguelha e vejo que admiras as minhas pernas.
-Gostas do que vês?
Se gosto…
Pouso o copo, sento-me a meio da cama, estico as pernas e peço-te que me tires os sapatos altos. Já sem sapatos, levanto as pernas e começo a tirar os collants até meio da perna.
-Tira-os, com jeitinho. Preciso deles…
Sinto as suas enormes mãos a percorrer-me a perna, enquanto me vai tirando os collants… afasto a cueca e começo a tocar-me, um dedo, depois dois dedos e acabo com três dedos dentro de mim e o polegar e o indicador a tocar no clitóris, faz-te ficar louco e avançar para cima de mim, com um pé afasto-te e indico-te o caminho das pernas e dos pés.
-Aí, é aí que te quero… não te disse para subir. Despe-te!
Despiste-te de uma forma bruta e sem jeito, querias saltar-me para a cueca o quanto antes, que bom saber…
- Enquanto me vou tocando, vais beijando e acariciando as minhas pernas. Aproveita, masturba-te.
Vou-me tocando cada vez mais, já escorre o néctar que liberto, não pela excitação do momento, mas porque domino-te como há muito não dominada ninguém.
Que caralho tão teso, que peito tão torneado e que olhar excitante…
Aproximo-me de ti e agarro-te no rosto, beijo-te e descubro todos os cantos da tua boca, sinto os mamilos bem hirtos, pego-te nas mãos e por baixo da camisa indico-te o caminho onde quero que as tuas mãos estejam…
Coloco duas almofadas no chão, ajoelhas-te por cima delas, ficas à altura da cama, abro as pernas e entras em mim enquanto me apertas os mamilos, venho-me e nem dois minutos passaram, não te digo, continuo a gemer feito uma vadia, tiro-te de dentro de mim, gemes de insatisfação porque querias continuar , que bom saber isso…


Com os dedos penteio-te o cabelo, levo-te a chupar-me a cona, tem tanto meu como teu. Com essa língua lavas-me toda, sinto-a sensível, sinto-me a transpirar, vermelha e completamente perdida de desejo.


Faço-te subir enquanto me viro. Deixo-me foder por trás… vens-te para mim, sinto-me lubrificada e cheia de tesão, acabo por me vir pela segunda vez, não por te sentir a vir, mas por teres soltado palavras porcas enquanto te vinhas…


Se soubesses o prazer que isso me dá!


Tens que repetir, um dia, se chegares a descobrir que gosto disso.
-Que final de dia tão bom. Vamos a outra?
Mas agora serei eu a mandar.
…fico louca ao pensar no que me irás fazer ou pedir.


Será que vais repetir essas palavras?!?

1 comentário: