domingo, 15 de janeiro de 2017

Afasta-te de mim



Afasta-te de mim.
Talvez seja lido de uma forma bruta ou insensível. Mas haverá outra maneira para escrever o que quero?
Procurei-te!
Afastaste-te!
Tentei entender-te! E poucas foram as vezes que consegui.
Ignoras-me…
Ignoro-te!
Desejo-te e no fundo, se calhar, até tu me desejas…
Mas, como saber?
Na verdade, perdemos oportunidades por tão pouco.
Sabes, por vezes, ODEIO-TE!
Quero que te afastes de mim.
Desapareças.
Esqueças que existo.
Quero esquecer que existes.
Mas…
Depois.
Existe e fica a dúvida.
Existes tu!
Quem no fundo quero perto, quem no fundo quero sentir, abraçar…
É contraditório, eu sei!
Mas, eu sou assim…
Agora só te peço isto…
Afasta-te de mim.
Da minha cabeça, do meu olhar, do meu coração.
Afasta-te!

Assim, como eu me irei afastar de ti…
Como me tenho afastado de ti...


Sem comentários:

Enviar um comentário