quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Quem sou eu afinal?



Quem sou eu afinal?
Um pedaço de carne… ossos, pele!
Um sorriso, por mais fingido que seja.
Um olhar triste ou sem rumo?
Quem sou eu afinal?
Serei aquilo em que me tornei.
Por vezes vazio. Outros sem graça.
Umas vezes feliz e de coração cheio.
Com saudades… sentindo falta de algo.
Sinto tudo aquilo que me fez sofrer.
Sou a alegria de quem me cativa.
A tristeza de quem me magoa.
A raiva de quem me fez mal.
Sou um amigo.
Ou serei eu apenas um clique? Uma visão? Ou algo virtual?
Quem sou eu afinal?
Sou a imagem da vida que levei. Do sofrimento e da alegria que tive.
Eu sou aquilo que cada um planta em mim.
Amor
Confiança
Felicidade
Alegria
Simpatia
E por vezes, até tesão.
Mas quem em mim, planta coisas menos boas… Ou quem me julga sem antes perceber ou me conhecer. Sem saber a origem das minhas lagrimas ou atitudes…
Colhe…
Colhe indiferença, distância. Colhe arrogância!
Mais não colhe, porque não sou de ódio. Não permito que tal sentimento se instale em mim. Não quero ser aquilo ao qual não admiro nos outros. Aquilo ao qual procuro me afastar.
Quem sou eu afinal?

Sou e serei aquilo que plantares. 

#L611 #BurningW

1 comentário:

  1. Bonito, "Sou e serei aquilo que plantares" excepto o ódio. Acrescento a inveja, intriga e a mentira

    ResponderEliminar