domingo, 20 de novembro de 2016

Perdi o meu amor...




Agarro-me à almofada, com as poucas forças que me restam… sinto teu cheiro, a tua presença, ainda não aceitei, não quero aceitar e nunca irei aceitar que te perdi, meu amor.
Porque foste embora?
Porque fechaste a porta do caminho na qual eu me sentia tão bem a percorrer?
Eu não estava a mentir.
Nunca te menti…
Eu amo-te, perdidamente… com a mesma intensidade que te amo desde os nossos dezoito anos. Olho-te com o mesmo brilho nos olhos desde o nosso casamento, desde a nossa primeira vez, desde sempre…
Sim, não me entreguei tantas vezes quanto gostava
Sim, não te disse todas as vezes que merecias, o quanto te amava
Sim, é verdade que acreditei que ias ser sempre meu e que nunca irias sair por aquela porta…
Mas eu pensei que eras meu, como se de um objecto te tratasses.
Pensei que serias meu até podermos caminhar de mãos dadas, bem velhinhos e com o olhar jovem dos tempos em que nos conhecemos, dos tempos em que éramos só os dois a sorrir sem pensar no amanhã.
A verdade… é que te tinha como garantido, a verdade é que não me entreguei tantas vezes porque deixei de gostar do meu corpo.
Dizes não acreditar, mas é a verdade, eu AMO-TE.
Mas, tive medo
Medo de me sentir feia a teu lado
Medo de não te satisfazer
Medo que me fosses achando velha após todos estes anos
Medo que aquelas jovens que hoje passam por nós te despertem o brilho no olhar que queria que fosse só meu…
Dizes que não e que sempre me olhaste de uma forma apaixonada, e o pior, é que sei que tens razão.
Mas tive medo.



#L611 #BurningW

Sem comentários:

Enviar um comentário