domingo, 6 de novembro de 2016

Padrasto!



A ti…   Pai do meu filho/a!
Para ele és um pai tal como eu sou. 
Sabias disso? Olha, agrada-me!
Para ele és um amigo que brinca, que lhe sorri, ensina e arranja sempre tempo para passear ou o levar ao cinema.
Agrada-me! 
Agrada-me mesmo, porra!
Eu não tenho que te autorizar a seres um pai para ele, é preciso é que ele te aceite como tal.
Se ele quiser ser um Peter Pan dos tempos modernos, faz com que isso aconteça.
Se ela quiser ser uma Princesa Sofia ou mesmo a Princesa Fiona, deixa-a ser, sorri com as suas escolhas e ajuda-a a realizar esse desejo.
Não faças dele ou dela, uma flor de estufa, isso não! 
Não precisas de lhe amparar as quedas, nem de ocultar as suas travessuras. 
Deixa-os cair as vezes necessárias até que percebam que o caminho certo, poderá estar ali a centímetros daquele que estão a tentar percorrer.
Já não deves mudar fraldas… tantas, quantas mudei. Mas não fará de ti um pai melhor ou pior que eu. As birras são normais, não lhes faças sempre as vontades. 
Os choros podem ser uma tentativa de manipulação, sem maldade é claro, ou apenas uma tentativa de chamar a atenção e obter o que desejam. Se o objectivo dessa birra for carinho, amor ou atenção… já sabes o que fazer. AMOR e mais AMOR!
As prendas são apenas bens materiais que com o tempo são destruídos. O amor, fica sempre e para sempre nos seus corações.
Fazer um filho é fácil, o difícil é criar e educar. 
Agrada-me que juntos, possamos dar-lhe não um, mas dois pais.
Não te prometo que serei assim sempre tão brando contigo. 
Agora, agradeço-te por também tu ajudares na educação dele ou dela. 
Agradeço-te pelo teu tempo ao seu lado, pela tua paciência, dedicação e amor.
Amanhã, posso muito bem te criticar por isto ou por aquilo… mas não quer com isto dizer que esqueci ou irei esquecer o bem que lhe tens feito.
Se tenho ciúmes… claro que tenho caramba. Ouvir o meu filho a falar do pai isto e aquilo, quando sou o seu pai. 
Mas eu sei que também ele fala de mim quando está contigo, terás tu ciúmes?
Na certa! São ciúmes naturais de quem ama o seu filho/a.
Deixo-te estas palavras apenas para que saibas que te admiro, agradeço e que irei estar sempre aqui para apoiar aquele que também se disponibilizou para ser pai, do meu filho. Aliás, do nosso filho.
Estarei aqui para ti, como tu tens estado para ele/ela.
Obrigado PAI do meu/minha filho/a.
PS: Só eu sei o que me doeu escrever estas palavras, caramba, se doeu. 
Mas se ele está feliz, feliz eu estou. 

  #L611 #BurningW

Sem comentários:

Enviar um comentário