sábado, 12 de novembro de 2016

Feliz à minha maneira...



Cansada de me dizerem que preciso de um namorado, de um marido, de ter um ou mais filhos. Que já não caminho para nova, que isto e aquilo. Estou a chegar aos quarenta, e então?
Quem disse que quero um namorado? Porque não uma namorada?
Quem disse que me quero casar?
E ter filhos, alguém disse que eu quero ter filhos?
Quem disse que quero ser aquela mãe de família, aquela esposa dedicada, aquele exemplo de mulher que é admirada pelos seus pais ou familiares? Quem disse? Fui eu? Não!
Posso ser eu a escolher o rumo da minha vida?
Posso ser a mulher que ao invés de um homem, deseja uma mulher para a vida? Ou então, ao invés de um homem ou uma mulher, posso desejar vários homens ou várias mulheres sem que com isso tenha que ter uma relação?
Posso apaixonar-me vezes sem conta?
Sofrer com essas paixões, sorrir, sufocar e viver cada uma delas ao limite?
Caramba pá!
Quem lhes disse que não quero dedicar a minha vida a um trabalho, uma causa ou um sonho, ao invés de seguir padrões comuns.
Quero ser eu a escolher a cor do meu cabelo, o corte, as roupas.
Sorrir ou não, a escolha é minha. Ou não terei esse direito?
Ler deitada num jardim, descalça e rir ou chorar com essa leitura.
Ir a uma discoteca e dançar até me faltarem as forças.
Encontrar-me com quem quiser sem ter que dar justificações…
Posso ser eu mesma e seguir aquilo que sonhei para mim?
Posso ser feliz à minha maneira?
Posso ser a mulher que sonhei para mim?
Quero ser responsabilizada pelas escolhas que fiz, sejam elas corretas ou não mas, são as minhas escolhas.
Posso ser feliz, tal como eu sempre sonhei?

#L611 #BurningW   

Sem comentários:

Enviar um comentário