terça-feira, 18 de outubro de 2016

Unimos as nossas almas.






Foi assim que me rendi…
Partiu de uma desejo, uma vontade. Um olhar, uma carícia.
Quanto mais lhe fodia o corpo, mais me apaixonava pela sua alma.
Foram noites de entrega e muita paixão.
Teu corpo no meu. 
Nossos suores se misturando a cada entrega. Produzindo o aroma do amor.
Nossos gemidos dando som ao nosso momento, nossa cumplicidade. A nossa música ambiente, o uníssono dos nossos gemidos.
Nossas línguas envolvidas.
Mão unidas, dedos entrelaçados a cada movimento que os nossos corpos faziam. 
E nossas almas sorriam.
Onde tu dançavas tão bem. Tu por cima, eu por baixo.
Mãos transpiradas. Olhos que brilhavam…
E a cada dia que te fodia o corpo, mais me apaixonava pela tua alma. 
Pelo teu sorriso, pela tua entrega, teu cheiro.
Almas gémeas.
Ali, naquele nosso mundo.
Com o nosso beijo.
A nossa entrega.
Não era só sexo, não era só tesão. Não era só porque te fodia e tu me fodias.
Houve mais, muito mais.
Onde tudo aquilo que outrora não conhecia, não desejava, não acreditava. Começou a dar sentido, sentido à minha vida.
A vida que conheci contigo. Porque, quanto mais te fodia o corpo, mais me apaixonava pela tua alma. A tua essência. 
O teu brilho.

Deste brilho à escuridão onde a minha alma vivia.


2 comentários:

  1. Tão intenso....maravilhoso, como sempre.

    ResponderEliminar
  2. É precisamente isto que acontece quando se consome um corpo e acaba por se penetrar uma alma.

    Um beijo*

    ResponderEliminar