sábado, 22 de outubro de 2016

Noites de prazer...



Poderia começar de uma forma mais suave, mas contigo incluída neste texto, não dá!
És uma tesão, do melhor! 
Tens o sabor mais intenso, mais picante e saboroso que alguma vez senti.
Trago-te na boca, no toque, no pénis, no peito, nas pernas e a minha transpiração deixou de ser só minha, agora, é nossa! Mistura de suores que hoje me acompanham como perfume de excelência.
Vou a tua casa…
Toco à campainha. Abres!
-Oi! Tão cedo, esperava-te mais tarde!
Apenas camisa, avental e meias… tão bom!
-Sim. Que imagem ficas agora de mim.
Queres que te diga a verdade?
-Entra e diz-me que imagem ficas. Imagino… Meu Deus!
De uma deusa. Pareces-me uma Deusa, mas carente. Ah, e com avental… Gostas?
-De deusa, gosto. Carente… Achas que estou carente? Não me conheces!
Desaperto os botões das calças e tiro-o já teso… mostro-o orgulhoso de tal tesão e bem avantajado.
-Ui!!! Acho que a palavra carente, me assenta que nem uma luva! Sorriso maroto!
Arranco-lhe o avental, pego-a ao colo e deixo que as calças se dispam de mim a cada passo que dou, com aquela tesão que carrego ao meu colo.
Aqueles cabelos longos encaracolados, aquele peito avantajado, aquele rabo enorme, aquela vulva com lábios carnudos e aquele clítoris enorme. Hoje toda rapadinha. Branquinha...
Fico sem nada… ao colo penetro-a sem avisar, encosto-a a parede e a cada investida o gemido é substituído pelo barulho do corpo contra a parede… Agarras-me os cabelos e afogas-me o rosto no teu pescoço, arranhas-me as costas, pedes-me mais força, que a cada investida seja mais forte, e continuas a suplicar por mais. Entrei com tanta força que te faço gritar bem alto. Esse rosto carregado de tesão olha-me nos olhos. A milímetros sinto a tua respiração ofegante em sintonia com a minha.
-FODE-ME! Quero mais... FODE-ME! Gotas de suor percorrem o seu rosto. Todo ele carregado de vontades.
Agarras-me no rosto e beijas, mordes-me o lábio, a língua… saltas e rebolas ao meu colo, vens-te. Não conseguiste aguentar muito mais… sentimento de satisfação e revolta. Querias ter aguentado mais.
Levo-te até à mesa da cozinha e deito-te, chupo-te e sinto o prazer que libertaste após aquele momento de tesão que acabei de te dar, o teu sabor intenso, demasiado intenso, mas saboroso.
Arrasto a mesa contra a parede, deixando as tuas mãos entre a parede e a mesa. Presa!
Abro-te as pernas, o mais que posso, agarro numa banana que ali se encontrava e faço-a entrar em ti, gemes… ajoelho-me e chupo-te o rabo, deixo-o bem molhado.
Em movimentos lentos e com a banana bem dentro de ti, entro com toda aquela minha tesão no teu rabo. Faço-te gemer e implorar por mais. Teu corpo transpira prazer, teus seios ficam duros e os teus mamilos ficam tesos.
Sinto-me cada vez mais excitado, tiro a banana, deixo-te o rabo bem aberto para o saborear antes de o deixar… caminho para junto da tua cara, viro-a para o lado, fazendo-te olhar bem nos meus olhos. Enfio-te aquela tesão toda pela boca, veias salientes, tão teso que só entra pouco mais de metade. Liberto toda aquela tesão... para a tua boca, teu rosto, pescoço e seios.
Soltas-te da mesa e vens te ajoelhar perante mim! É assim que te quero. Digo-te sem rodeios.

-Deixa esta tua escrava acabar de lamber e engolir tudo...

#L611 #BurningW

1 comentário: