sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Meu AMIGO!




Não será ficção, nem imaginação.
Falarei apenas do que construímos. Uma amizade que vale mais que uma medalha de ouro.
Quantas vezes caí? E nem força tinha para me levantar e tu, com um abraço e meia dúzia de palavras me fizeste acreditar que eu seria capaz. Sabes que não és pessoa de falar. São suficientes as tuas palavras. Admiro-te! És mais de actos, és o meu herói.
Quantas terão sido as lágrimas que me viste derramar? Naquelas alturas em que sonhei com a vida… e que a vida, simplesmente me traiu. Tu tiveste lá.
Sabes como adorava que fosses meu irmão de sangue. Mas, mesmo não sendo, para mim, és o meu irmão.
Não trocava a tua amizade por nada deste mundo. E sabes que digo a verdade… Tantas vezes entre choros e abraços, te disse que te dava tudo o que tenho para te ver feliz, te ver feliz para sempre.
A tua felicidade é a minha. Quando sorris, eu estou lá. Quando não estás nos teus dias, estou lá para te fazer ver que és o meu herói e és mais forte do que qualquer outro ser humano.
Lembro-me de uma noite, onde chorava… sofria e sentia que o mundo me tinha tirado o tapete, tu foste lá. Abraçaste-me e choraste comigo. Isso ainda hoje me marca a vida. O meu coração tem lá uma tatuagem do meu herói. Uma tatuagem com o teu nome. Sabes que gosto de números e letras. Mas sou esquecido, e apenas tatuei a tua inicial no meu coração. Precisei escrever isto para sorrir um pouco, pois já choro e quero continuar…
Mesmo eu não sendo mais do que um simples ser humano, tendo em conta o que tu és. Tu gabas-me e elogias-me, tu apoias-me. Fazes-me acreditar que sou capaz de coisas que por vezes me parecem impossíveis.
Quando há dois anos quase deixei de acreditar no meu DEUS, tu estiveste lá. Novamente com poucas palavras mas, sempre pronto para me ouvir e me abraçar. Fizeste-me manter de pé e lutar. E sabes como não foi fácil, nada fácil. Foi a mais difícil das minhas batalhas.
Admiro-te.
A ti confiava a minha vida, a minha filha. Os teus filhos são como se fossem meus. Amo-os muito. E tu sabes isso.
Para quem perder o tempo a ler o que hoje te escrevo, pode parecer um exagero o que aqui escrevo mas, não é. Não é mesmo.
Sinceramente, nem sei se mereço a tua amizade. Esta amizade que não é de sempre mas, será para sempre.

Faltam mais de cem mil palavras para descrever a tua amizade. Um dia, um dia quem sabe, passarei para papel toda a admiração, respeito, amizade e carinho que tenho por ti. Talvez nessa altura, já haja máquinas que retirem essa informação do meu coração para papel. Quem sabe…

Sem comentários:

Enviar um comentário