domingo, 30 de julho de 2017

Na tua mente...



Olhas-me e aguardas que continue… Esse olhar. Aí miúda… Esse teu olhar. 
Estava nos pés, certo? Confirmas com um abanar da cabeça.
Os teus pés, encharcados de mim... Sentido a saliência dos meus mamilos. Sim… pressiona os teus pés contra os meus mamilos. Eu gosto, tu sabes.
Sinto-os tesos…
Vê como me encontro. Teso, duro e pronto para ser teu.
Os meus olhos percorrem-te, ao mesmo tempo que mordo o meu lábio inferior
Sinto-te a contorcer... quando os meus dedos sentem a saliência dos teus mamilos e um dedo sente a lubrificação que libertas
Para lentamente saborear-te.
É intenso... e tu sabes que é... quando te levo a saborear essa fusão da minha saliva com o néctar que libertas
Mas não te chega... Eu sei! Sinto. O teu olhar diz isso mesmo.
Por isso liberto os teus pés, afasto as tuas pernas com as minhas mãos nos teus tornozelos e aí...
Entro em ti... Libertando a primeira gota bem dentro de ti. Está criada a fusão de nós...
Agora sim... vou sair. Estás no ponto. Vejo o teu olhar de quem não gostou. Adoro!
Vou entrar com todos os dedos que a minha mão tem... devagar. Irás sentir-te a escorrer...
E eu a recolher aquele néctar, para depois o saborear contigo num beijo que te sufoca e faz estremecer
Foi bom, não foi... sussurro-te ao ouvido. O teu toque forte, confirma.
Esta fusão que criamos, um tesão de prazeres.
Fomos nós... eu a foder-te como nunca e fazendo-te minha como nunca ninguém te fez.
Eu mando. Mando e tu sabes disso.
Levanta-te. Vira-te. Senta-te nos teus calcanhares. Costas direitas. A minha mão agarra-te o pescoço e sentes o meu peito a roçar as tuas costas
Ouve o que te digo...
Estás na medida certa... vou entrar em ti, lubrificando-te... enterrar-me à bruta. E só vais gemer quando me sentires a assaltar a tua alma.
Aí vais, gemer... e vais dizer que és minha... até o sentires a latejar bem dentro de ti.
Até sentires o puxão de cabelos fazer-te ceder e roçar em mim e com a outra mão te apertar um mamilo
Chega de sussurros. Ouve o som que esta casa liberta nesta nossa entrega. Esses serão os melhores sons que irás levar contigo, para sempre.
Vou foder-te à bruta quero que me sintas a escorrer pelas tuas costas.
Quero ver-me a escorrer em ti, misturar-me com a tua transpiração. Quero ajoelhar-me e lamber-te. Quero que essa tua excitação, esse teu contorcer de pernas e essa força que aplicas em agarrar o lençol que levas à boca para te silenciar, saia de dentro de ti e escorra pela minha boca.
Enquanto admiro o que te escorre pelas costas, essa fusão que criei em ti.
Esses gemidos que libertas, estão a percorrer todos os cantos desta casa. Esses gemidos, são gritos da alma que te disse que ia assaltar. Deixa-a falar por nós…


#L611 #BurningW #LuisPereira


domingo, 5 de fevereiro de 2017

Despertas o melhor de mim...



Enquanto conduzo em direção a casa revejo mentalmente o meu dia. 
Que loucura de dia... hoje houve de tudo. 
Bom mau, assim assim. Mas isso já não me importa. 
A cada minuto que passa, venço kms e aproximo-me de ti. Adivinho o teu sorriso e, por momentos, perco-me nele. 
É bom saber que me esperas, é bom saber que posso contar com o teu beijo, o teu abraço, o teu tesão. Mas ainda falta um bocado para chegar a casa... 
Aperto as pernas, mordo o lábio inferior, contorço-me um bocado. 
Não imaginas o poder que tens sobre mim. Ou talvez imagines... Não consigo evitar tocar-me. 
Pelo que toco. 
Ao mesmo tempo que começo a tocar-me, o telemóvel toca… Engulo em seco… é ele! 
Oi… digo com uma voz trémula… pois ainda tenho a mão dentro das cuecas, e agora a outra no volante, após atender a chamada… 
-Demoras? 
Não. Estou a chegar… e acho que levo uma dose de vontade de ti. Ou diria, duas doses… 
-Deixa-me adivinhar… apeteço-te? 
Mais que isso… já me toco… 
-Enquanto conduzes? Ai! Parece-me que te tornaste mais louca que eu… 
Foste tu quem despertou esse meu lado selvagem. 
-Sempre eu… 
Sempre tu, dentro do meu corpo, da minha mente… dentro de mim. 
-Encosta… Por favor… Mete os quatro piscas. Passa para o lado do pendura. Levanta a saia, desvia as cuecas… mete os pés em cima do tablier. 
Ainda me ouves? 
*sim… Quando aqui chegares… irei aguardar por ti, de joelhos… Irás entrar, afastar as pernas e o resto, serei eu… o tarado que dizes que sou. 
Irei tirar-te as cuecas, à bruta… 
Irei meter a minha língua dentro de ti, as minhas mãos afastam as tuas nádegas. 
Puxando-te para mim, deixando-me sufocado com esse teu néctar, esse… que estás prestes a soltar para quando chegares eu saborear. 
Vem-te… agora mesmo. 
Geme o meu nome, grita, sufoca-te com esse grito de desejo, vontade de mim, dentro de ti… 
Do que te dou a cada entrega a cada estocada. 
Que chegues aqui com esse cheiro de prazer que soltas cada vez que te faço vir, em mim, para mim. Agora vem-te… vem-te enquanto te sussurro ao ouvido… 
Apetece-me… dentro de ti. 
*Já me vim… dá-me 10minutos… não saias daí…
Aguarda por mim. 
Porque isto é bom, mas muito bom é ver-te a lamber-me e a olhar-me nos olhos, enquanto te acaricio os cabelos. 
Aguarda por mim…
#L611 #BurningW #BurningWords

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

A outra metade



Olho bem fundo, nesse teu olhar misterioso…
Sei que estou perdido nesse olhar.
Sei que nem tudo se resume ao teu olhar
Ao teu sorriso
Ao teu caminhar
À tua voz que me faz estremecer…
Sei disso
Mas, sei que nesta minha vida,
Só fará sentido um Eu enquanto houver um Tu.
Aquele, nós, que jamais vou querer perder.
Porque nós, é o melhor de mim, vivendo apaixonadamente o melhor de ti.
É o que fomos, somos e seremos um dia.
É a junção de duas almas a cada beijo
Cada abraço
Cada momento passado a teu lado
Ontem sei que te amava muito
Hoje, sei que te amo ainda mais
Amanhã, não preciso de varinha mágica.
Amanhã, irei estar a teu lado,
Completando-me e unindo-me à metade
que sempre sonhei…
A ti!
Unindo-me a ti, meu amor
Amo-te, hoje e para sempre…
PS: A tua outra metade…


segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Volto já...




Sentado ao fundo da cama, observo-te.
Que linda que és…
O teu caminhar em bicos de pés, o teu sorriso ao voltar o olhar para trás. Conferindo se ali tinha ficado como prometido…
Onde me tinhas pedido que jurasse que não saia dali, enquanto ias buscar uma surpresa.
“ Despe-te, senta-te e promete que não sais daí, nem vens espreitar. “
E assim fiz… tirei a gravata, a camisa e coloquei na cadeira ao lado da cama.
Ainda com o olhar naquela porta que se abriu para tu passares, passares e deixares aquele teu cheiro, o teu perfume tão natural.
Em bicos de pés, quase aos saltinhos e a sorrir…
Voltas e vens com aquele vestido curto…
Seguras-te à porta, sorris e piscas-me o olho.
- Não tenho nada por baixo e acho que já estou a escorrer…
Sorri. Não por aquilo que disseste, mas pelo som adocicado com que essas palavras foram ditas.
Ditas de uma forma marota, mas tão doce.
E ali vens tu, com o teu caminhar em bicos de pés, sorrindo e abanando o vestido…
Com uma mão de cada lado da cintura, seguras no vestido, fazendo-o rodopiar o teu esguio corpo… Sorris, mostras as coxas, e a tua intimidade, rapadinha. Como tu fizeste questão de informar por sms…
Chegas bem perto de mim. Tu de pé, eu sentado, sorris do alto… e sussurras-me ao ouvido.
 - Consegues sentir o cheiro que liberto? Estou mesmo a escorrer…
E soltas uma gargalhada.
Agarro-te. Apertando-te as nádegas e inalo esse cheiro que falas… Sentido o calor do teu corpo na palma das minhas mãos.
Ali, com tão pouco, tive tanto. Tive-te a ti, em mais uma noite intensa onde todos os cheiros foram inalados, todos os desejos saciados e todos os gemidos gravados.

Mumificando uma vez mais, o nosso amor. 

domingo, 22 de janeiro de 2017

Imagino-te, em mim...







Era uma conversa de loucos...no messenger do facebook principalmente.
Ele, de fato, olhos verde, bonito, alto, magro, cabelo alourado. Divorciado.
Ela também...mas totalmente o oposto: baixa, roliça, de cabelos pretos e olhos castanhos amendoados. Picavam-se sempre com conversas de teor erótico contudo mais para o lado da comédia…

Ele dizia: "tens de vir ter comigo. Vamos beber café"

Ela respondia "café é à pobre, para engates."

“ Uma coisa como deve de ser, é o cavalheiro convidar para jantar. "

Então assim seja, vens jantar comigo?

" Ela respondia sempre que não, um dia mais tarde quem sabe. "

Tu mereces alguém como tu, uma senhora alta, loira, bonita, magra, não eu...que como pizza com as mãos e uso brincos de penas coloridas.

Que me atrapalho, que digo parvoíces, que falo alto, e que vou contra as coisas, uma vergonha..."

Ela dizia isto a rir porque não pensava que ele pudesse realmente sentir algo por alguém como ela..."vai acabar por te magoar, parva, olha para ti"

Ele não gostou.

Disse-lhe que ela não o conhecia bem para falar assim.

"Para a semana volto a perguntar" dizia.

Ela dizia sempre que não, mas isso não a impedia de imaginar como seria…

Ele chegaria no seu carro. Ela entrava. Guiava até a um café aconchegante onde beberiam ele um café, ela um descafeinado e onde haveria uma conversa amigável, animada e onde era óbvia a atracão física.

Não tiravam os olhos um do outro. Chegaria o momento de ele a levar a casa.

Pelo caminho ela pedia-lhe para ele parar o carro e o beijaria. Ela saía, dava a volta ao carro e sentava-se no colo, virada para ele onde o beijaria apaixonadamente. As mãos desciam até ao cinto dele, ela continuava a beijá-lo enquanto ele metia-lhe as mãos nos jeans justos por trás. Ela gostava de comandar, portanto pediu-lhe para que tivesse calma. -Espera, já vai chegar a tua vez. Primeiro eu." Disse-lhe piscando-lhe o olho. "Mas eu..." - "Espera dizia-lhe. Não te vais arrepender" Nisto passou para o outro banco e entrou de gatinhas no carro pelo banco do pendura...

Baixou a cabeça e tirou o caralho dele para fora: sem pêlos, macio, enorme, palpitante... " exactamente como eu gosto" pensou ela.

Abocanhou-o e chupou-o longamente enquanto brincava com os colhões, com as mãos masturbava-o e metia a língua, rodava a língua com ele metido até à garganta e chupava fortemente fazendo vácuo...Ouvia-o gemer. Para cima e para baixo metia-o até à garganta e com as mãos acariciava...sentia-o a vibrar e nisto parou e disse:

"Quero-me sentar nele. Posso? “

Ele nem respondeu...olhou e puxou-a para ele. Beijou-a e ajudou-a a tirar as calças...como magia ela já não as tinha. Trazia uns boxers de renda pretas que também num ápice saíram. Ele puxou o banco todo para trás e ela sentou-se de costas para ele, onde enfiou o caralho com uma das mãos e rebolou um pouco antes de o meter bem fundo. Ele pegou-lhe na cintura...ela gemeu. "Vou-te foder tanto" disse ela: "estou com tanta tesão"

Ela subia e descia agarrada ao volante. Sentava e movia-se para a frente e para trás, rebolava como se fosse uma bailarina do ventre. "Vou me vir" disse ele. Ela parou. "Espera"

"Quero que te venhas na minha boca"

Virou-se para ele e de joelhos abriu a boca. Ele não se aguentou mais. Veio-se, soltando um gemido baixo. Ela beijou-o com a boca ainda suja.

Ele não se importou.

"Já estamos atrasados" disse ela."Temos de ir"

Ele estava de olhos ainda fechados mas sorriu e disse: "Tudo o que a minha rainha quiser" "Para a próxima vai ser na varanda da tua casa" brincou ela.

Ela pensou: "Sim" "Era capaz de ser assim" e sorriu...

Enquanto mais uma vez falava com ele no messenger, brincando e recusando uma vez mais os seus convites.

Autor : Miss Tiny

Jeito de menina...




Se eu te disser que esse teu jeito de menina me deixa de cabeça perdida… que à noite me perco em pensamentos, que és tu quem eu vejo quando fecho os olhos, que desejo que o meu toque, seja o teu toque.
Que o teu sorriso, o brilho do teu olhar e a voz da tua simplicidade me excita… que te imagino com um caminhar lento, meio perdido e sem vaidade quando acredito que o mesmo seja sensual e confiante.
Que mesmo de olhos fechados e de lábios cerrados, te vejo a encostar os teus lábios nos meus. Sentindo o teu respirar junto ao meu.
Que me despes com a voz, me tocas com o teu suspirar e me fazes perder os sentidos quando me deixo levar pelo prazer.
Depois de despido pedes-me que deixe de ser delicado.
Agora queres e exiges mais, queres que te agarre, te deite na cama, te abra as pernas e me perca em ti, com a língua, com os dedos… 
Voltas-me a pedir que deixe de ser delicado, te vire, te bata no rabo, entre em ti e te foda com força, te puxe os cabelos e te sussurre ao ouvido o quanto louco ando por te foder…
E ando... tão louco por te foder.
Pedes-me e indicas-me o caminho onde queres que te meta a língua, que guarde nos meus lábios o teu néctar, o sabor do orgasmo que tiveste, que me fizeste ter… 
Guardo nos meus lábios essa essência criada pelos nossos fluidos, os fluidos do nosso prazer.
Depois mesmo com os olhos fechados, vejo-te a vestir. Vejo esse teu corpo de mulher com voz de menina, a deixar a nudez apenas na minha cabeça, no meu olhar…
E se eu te disser… que é em ti que quero entrar e dentro de ti, percorrer montanhas e chegar aos céus, aos céus que desejo pintar com o nosso prazer, com os nossos orgasmos.
Se eu te disser, tu vens? E perdes-te em mim?
Podemos unir nossos corpos e fazer o tempo parar?
Dançando com a melodia do prazer, do som dos nossos gemidos... 

E se eu te disser… que és o pecado que quero cometer!

Um negócio, com prazer...






Viagem aos arredores de Leiria, para mais uma visita a um cliente.
Depois de uma longa reunião, viagem e da ausência de um bom almoço, decidimos ficar para jantar.
Jantamos e conversa puxa conversa, já passava das 23h.
Decidimos ficar por um hotel… Dois quartos vagos, que sorte, tendo em conta a altura do ano, Maio.
Já deitada, ligas-me.
Queres beber um champanhe para comemorar este novo cliente?
-Mais ainda? Já bebemos tanto…
Mais um copo, não fará mal. E não bebemos champanhe.
-Ok. Já aí vou.
-Já estava deitada...
Vai valer a pena, hoje foi um dia muito bom, não poderíamos terminar assim sem festejar este grande cliente.
Sento-me à beira da cama e ofereces-me o champanhe. Proponho um brinde.
Enquanto bebo, observo-te de esguelha e vejo que admiras as minhas pernas.
-Gostas do que vês?
Se gosto…
Pouso o copo, sento-me a meio da cama, estico as pernas e peço-te que me tires os sapatos altos. Já sem sapatos, levanto as pernas e começo a tirar os collants até meio da perna.
-Tira-os, com jeitinho. Preciso deles…
Sinto as suas enormes mãos a percorrer-me a perna, enquanto me vai tirando os collants… afasto a cueca e começo a tocar-me, um dedo, depois dois dedos e acabo com três dedos dentro de mim e o polegar e o indicador a tocar no clitóris, faz-te ficar louco e avançar para cima de mim, com um pé afasto-te e indico-te o caminho das pernas e dos pés.
-Aí, é aí que te quero… não te disse para subir. Despe-te!
Despiste-te de uma forma bruta e sem jeito, querias saltar-me para a cueca o quanto antes, que bom saber…
- Enquanto me vou tocando, vais beijando e acariciando as minhas pernas. Aproveita, masturba-te.
Vou-me tocando cada vez mais, já escorre o néctar que liberto, não pela excitação do momento, mas porque domino-te como há muito não dominada ninguém.
Que caralho tão teso, que peito tão torneado e que olhar excitante…
Aproximo-me de ti e agarro-te no rosto, beijo-te e descubro todos os cantos da tua boca, sinto os mamilos bem hirtos, pego-te nas mãos e por baixo da camisa indico-te o caminho onde quero que as tuas mãos estejam…
Coloco duas almofadas no chão, ajoelhas-te por cima delas, ficas à altura da cama, abro as pernas e entras em mim enquanto me apertas os mamilos, venho-me e nem dois minutos passaram, não te digo, continuo a gemer feito uma vadia, tiro-te de dentro de mim, gemes de insatisfação porque querias continuar , que bom saber isso…


Com os dedos penteio-te o cabelo, levo-te a chupar-me a cona, tem tanto meu como teu. Com essa língua lavas-me toda, sinto-a sensível, sinto-me a transpirar, vermelha e completamente perdida de desejo.


Faço-te subir enquanto me viro. Deixo-me foder por trás… vens-te para mim, sinto-me lubrificada e cheia de tesão, acabo por me vir pela segunda vez, não por te sentir a vir, mas por teres soltado palavras porcas enquanto te vinhas…


Se soubesses o prazer que isso me dá!


Tens que repetir, um dia, se chegares a descobrir que gosto disso.
-Que final de dia tão bom. Vamos a outra?
Mas agora serei eu a mandar.
…fico louca ao pensar no que me irás fazer ou pedir.


Será que vais repetir essas palavras?!?